First Top Banner

R$0,00
(0) item(s)

Você não tem itens no seu carrinho de compras.

Produto adicionado no carrinho x

Artesãos

 

  

A tapeçaria começa com a confecção do trançado básico. Este trançado é composto por algumas correntes colocadas na moldura, já na medida definitiva. O espaço existente entre elas define a segurança das diversas partes da peça podendo ser mais finas ou espessas quando estiverem prontas. Os nós são atados pelo trançado básico. A execução de cada carreira de nós segue uma direção, permitindo que cada fio básico fique uma vez voltado para frente e outra vez para trás. Antes de começar a atar os nós, é preciso preparar uma ourela nos lados mais compridos do trabalho.

 

A ourela consiste em prender dobrados duas ou três vezes, juntos, os fios básicos externos. Quando a beirada do tapete está pronta, tem início o trabalho de atar. Ao término do trabalho de atar os nós, os finais são feitos para que não saia dos padrões. Depois de pronto, o tapete recebe a ourela nos lados mais curtos, igual à que foi feita no início do trabalho nos lados mais longos. O tapete é cortado e retirado da moldura deixando uma margem de 10 a 20cm de comprimento nos fios básicos ou correntes, assim ele é pendurado para ser feita a franja. A próxima etapa é o corte.

O valor de um tapete oriental começa a ser contado pelo tempo e quantidade de atadores necessários para executá-lo. Quanto mais esticado o atado das saliências, mais firme será a trança do tecido. A firmeza do tecido é assegurada em cada pedaço do atado. Os atados persas têm um avesso quase liso, os fios atados são muito esticados. Os fios curtos de lã encontrados sobre o lado avesso do tapete diminuem a friagem do chão.

 

TEAR

O tear é uma armação que prende o tapete junto a sua estrutura para ser tecido. Os teares verticais são específicos aos tapetes de vila e de oficina, e seu conjunto é mais complicado do que teares horizontais. Os tapetes tecidos em teares verticais são mais exatos nas dimensões e no projeto.

TEAR FIXO

 No tear fixo, os artesões sentam-se em um assento ajustável na frente do tear. O assento é levantado enquanto as fileiras dos nós são adicionadas.


TEAR DE TABRIZ

Neste tear, a seção tecida do tapete é puxada abaixo e atrás do tear. Desta maneira, os tecelões não precisam se mover. Estes teares são usados no Irã, na província de Azerbaijan, nas cidades de Arak, Qum, Hamadan e nos centros comerciais da Turquia.

TEAR HORIZONTAL

Os teares horizontais são o tipo mais simples de tecer. Usados principalmente pelos nômades, porque podem ser facilmente desmontados para se locomoverem a outros lugares.

 

PLACA DO PROJETO

A placa do projeto ou cartão é um desenho colorido de um tapete no papel gráfico (enquadrado) que guia os artesãos que os colorem. Geralmente cada quadrado representa um nó. Para os tapetes que têm a simetria no projeto, a placa ilustra geralmente um quarto do tapete.

PENTE

Depois que a conclusão de uma fileira dos nós é tecida e de passar uma costa da trama através das urdiduras, a costa de trama e a fileira dos nós são batidas com um pente especial. O pente é movido para cima e para baixo através das costas da urdidura, pressionando a costa de trama no alto dos nós que fixam os nós no lugar.

 

CARDAGEM

 

A cardagem é o processo em que a lã crua é aberta e separada. Isso permite que cada fibra seja ajustada em uma posição reta ou paralela. Uma cardagem eficaz garante que nenhuma fibra se misture com outra, nem com matéria vegetal, areia ou sujeira no fio. As fibras curtas são separadas. A eficácia da cardagem permite que as fibras fluam no início da fiação e possibilita uma melhor mistura para as várias espessuras desejadas. Muitas empresas de produção de tapetes preferem o método de cardagem manual para manter a originalidade dos tapetes originais, feitos à mão, nó por nó. 

 

LAVAGEM, TINGIMENTO E SECAGEM DE FIOS

Antes de o fio ser tingido, ele é primeiro limpo. A lã geralmente carrega poeira e gordura que é removida lavando-a bem. O fio é submerso em um banho de detergente e então torcido várias vezes antes de passar para a próxima fase de lavagem. O fio é lavado novamente em água limpa para remover todos os restos de detergente e é então seco ao sol por dois a três dias.

As tinturas são criadas usando uma combinação muito precisa de cores para produzir o tom exato desejado. O fio é pendurado em uma grande prateleira e submerso na tintura. O corante é aquecido a uma temperatura próxima de ebulição por um período de tempo predeterminado.

 

 

A quantidade de tempo é baseada na cor, tipo de tinta e tons desejados. Depois de tingido, o fio é colocado ao ar livre, sob a luz do sol, até que esteja completamente seco. O fio tingido é seco o mais rápido possível ao sol moderado ou em uma área arejada e sombreada para proteger as lãs recém-tingidas da descoloração.

 
 
 
TOPO